quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Recomeçar - capítulo 03


autor: Augusto Vale

CENA 01. MANSÃO DE LEONOR. QUARTO DE KADU. INT. NOITE.

Continuação imediata da cena anterior. Júlia e Kadu se beijam. Muita química. Júlia se afasta.

JÚLIA: - Não! Isso não tá certo. É a festa de seu noivado... o que você tem na cabeça?

KADU: - Eu não amo a Alessandra.

JÚLIA: - É? E daí, eu não tenho nada a ver com isso. É problema seu.

Júlia vai saindo, quando Kadu a puxa pelo braço. Estão bem próximos, bocas a alguns centímetros uma da outra.

KADU: - Eu sei que você gostou. Foi diferente. Você sentiu o mesmo que eu senti, tenho certeza. Fala que não.

JÚLIA: - Eu... eu...

Ele a beija novamente. Música: When You Say Nothing At All - Ronan Keating. Corta para:



CENA 02. MANSÃO DE LEONOR. JARDIM. EXT. NOITE.

A festa continua com tudo. Davi conversa com alguns amigos. Alessandra chega.

ALESSANDRA: - Davi, você não viu o Kadu? Sumiu já tem um tempo.

DAVI: - Não vi não, Alessandra. Já procurou lá dentro?

CAM encontra Leonor, que conversa com Gilda Lazarotto. Filipe conversa com um amigo logo adiante.

LEONOR: - Realmente, o Filipe já é um homem. E muito bonito. Onde você estava escondendo o seu filho esse tempo todo, Gilda?

GILDA: - Na Suiça, estudando todos esses anos. Formou-se designer. Sou suspeita, mas te digo que o meu filhote é um dos melhores profissionais da área no Brasil. É um menino de inestimáveis qualidades.

LEONOR: - Meus parabéns. (vê Narcisa acenando) Com licença, Gilda. Fique à vontade.

Leonor vai até Narcisa, que está curiosa.

NARCISA: - Não me diga que aquela é a atriz Gilda Lazarotto.

LEONOR: - A própria, minha querida. Em carne, osso e conta vermelha. Os anos de glória se foram e a infeliz caiu em desgraça. Dizem que não tem dinheiro nem pro papel higiênico folha dupla. É uma coitada.

NARCISA: - Mas pelo que vejo, ela não perdeu a pose.

LEONOR: (vendo Gilda entornar uma taça de bebida e já pegar outra) – Nem o vício.

As duas dondocas caem na gargalhada. Corta para:

CENA 03. MANSÃO DE LEONOR. QUARTO DE KADU. INT. NOITE.

Júlia e Kadu se beijam. Júlia se afasta novamente, mas sem ser brusca.

JÚLIA: - Eu preciso voltar pro trabalho. Não posso perder esse emprego.

KADU: - Nem perguntei o seu nome...

JÚLIA: - Júlia.

KADU: - Nome tão lindo quanto você. (T) Carlos Eduardo. Mas pode me chamar de Kadu, que é como todo mundo me chama, menos a minha mãe. Enfim... eu também preciso voltar pra festa... Me dá seu número, não quero te perder de vista.

JÚLIA: - Pirou? Eu nem devia estar aqui. Isso é uma loucura. Você vai casar, eu não quero confusão pro meu lado...

KADU: - Por favor, Júlia.

JÚLIA: - Eu... vou indo... é, vou indo... (sai)

Saindo, Júlia passa os dedos nos lábios e esboça um sorriso. Kadu, agora sozinho, se joga na cama, sorrindo, feliz. Corta para:

CENA 04. MANSÃO DE LEONOR. JARDIM. EXT. NOITE.

Takes variados da festa. Depois, vemos Kadu e Alessandra dançando juntos na pista, sorridentes, sob o olhar de uma parte dos convidados. Em dado momento, os olhos de Kadu encontram Júlia, que observa os noivos. Closes alternados e suaves nos rostos de Júlia e Kadu. Em seguida, a pista é tomada por casais, que dançam alegremente. Kadu perde Júlia de vista.

HORÁCIO: - Vamos dançar, querida?

LEONOR: - Horácio, francamente!

NARCISA: - Ah, pois eu aceito.

Horácio e Narcisa dançam. Tavinho estende a mão para Leonor, convidando-a. Ela aceita. Dançam. Corta para:



CENA 05. MANSÃO DE LEONOR. BANHEIRO. INT. NOITE.

Música: Running Up That Hill – Placebo. Filipe beija um rapaz. Beijo chupado. Muita pegada. Ambos ficam sem camisa. Close no peitoral. Close nas bocas. Close nas mãos que apalpam a bunda e tudo o mais. Enfim, focar nos detalhes da pegação. Libido altíssima. De repente, Davi entra no banheiro, surpreendendo os dois.

DAVI: - Opa, desculpa aí.

No susto do flagrante, o rapaz sai depressa, pegando rápido sua camisa. Davi fica sem graça.

DAVI: (pra Filipe) - Foi mal, cara. Não dava pra adivinhar... Tranca a porta na próxima vez.

FIPIPE: - Idiota!

DAVI: - Não, meu nome é Davi. Prazer.

FILIPE: - Idiota e engraçadinho. O que tá querendo aqui? Atrás de putaria? Não, já sei... pó. Compartilha aí, cara. Não seja egoísta.

DAVI: - Essa não é a minha. (abre o zíper e urina, de costas para Filipe)

FILIPE: - Dizem que os homens negros são bem dotados. É verdade ou não passa de mito?

DAVI: - Não sei. Mas eu não tenho do que reclamar.

FILIPE: - Uau! Agora você me deixou bastante curioso.

Corta descontínuo. Música sobe. Filipe e Davi se beijam com ardor. Chupadas. Pegada na mesma vibe do início da cena. Corta para:

CENA 06. MANSÃO DE LEONOR. JARDIM. EXT. NOITE.

Abre num anel sendo colocado no dedo de Alessandra. É a hora da oficialização do noivado.

HORÁCIO: (alto) – Viva os noivos!

TODOS: - Viva!

ALESSANDRA: - Música, DJ! (para Kadu) É a noite mais feliz da minha vida, honey. Sonhei com isso a vida inteira.

Sem ter o que dizer, Kadu dá um beijinho na noiva. Não parece muito feliz.

TAVINHO: - Agora já podemos marcar a data do casório.

KADU: - Calma, Tavinho. Uma coisa de cada vez.

HORÁCIO: - É isso aí. Sem terrorismo, Tavinho. Sem terrorismo.

Descontração. Corta para:

CENA 07. MANSÃO DE LEONOR. BANHEIRO. INT. NOITE.

Filipe e Davi ofegantes. Ambos sem camisa. Filipe sentado na pia. Davi encostado na parede.

FILIPE: - Nossa! Você é gostoso, hein!

DAVI: (sorri) – Você ainda não viu nada.

FILIPE: - Não vi nem senti, você quer dizer ne? Nem matou a minha curiosidade, malandrão.

DAVI: - Aqui não é o melhor lugar pra isso. Dá aqui seu celular.

FILIPE: (entregando o celular) - O que é?

DAVI: (digitando) - Meu número. Me liga.

Abotoando a camisa, Davi sai. Filipe olha o número no celular e esboça um sorriso safado. Corta para:

CENA 07. APART. TIA SOFIA. BANHEIRO. INT. NOITE.

Entra instrumental de When You Say Nothing At All - Ronan Keating. Júlia toma banho. Ela está pensativa. Entra insert do beijo com Kadu na cena 01. Volta pra ela, que agora esboça um sorriso de quem adorou a noite. Corta para:

CENA 08. LANCHONETE DA PRODUTORA GALVÃO. INT. DIA.

Após rápidas imagens do dia amanhecendo, corta para a lanchonete. Mostrar placa ou qualquer coisa que identifique que é o cenário da produtora. CAM em dolly in até a mesa onde estão Kadu e Davi, enquanto eles conversam e fazem um lanche.

DAVI: - Você é maluco, Kadu. Ficar com outra mulher na sua festa de noivado! Já pensou o escândalo que ia ser se a Alessandra pegasse vocês dois? Quero nem imaginar...

KADU: - Ela é linda, Davi!

DAVI: - Eu sei. Eu vi quando ela te deu aquele puta banho de champanhe. É bem bonita mesmo.

KADU: - Não consigo parar de pensar nela. Acho que até sonhei com os nossos beijos. Nossa, que beijos!

DAVI: - Ih, isso não é um bom sinal. O que tá pensando em fazer?

KADU: - Não sei. Ela não quis me dar o celular e sumiu antes do fim da festa. Só sei que se chama Júlia e trabalha naquele buffet. Ninguém lá soube me dar o contato dela. Parece que é nova no serviço.

DAVI: - Poxa... e ela nem pra deixar um sapatinho pra trás... Isso não se faz. (riso)

KADU: - Engraçadinho. E você? Não te vi no momento da oficialização do noivado... Posso até imaginar com o que estava entretido. Tô enganado?

DAVI: - No banheiro. Deve ser filho daquela atriz, a Gilda Lazarotto. Vi ele saindo da festa com ela.

KADU: - O Filipe? Jura?

DAVI: - Delicioso. Meio metido a besta, mas gostoso. Confirmei aquela máxima que diz que o melhor da festa acontece no banheiro. (cara safada)

KADU: - É? Há controvérsias, meu amigo, há controvérsias... Termina logo esse suco aí, a gente ainda tem muito trabalho, muita coisa pra editar...

Corta para:

CENA 09. MANSÃO DE LEONOR. QUARTO DE LEONOR. INT. DIA.

Sentada na cama, Leonor hidrata a pele. Zezé está em pé.

LEONOR: (orgulhosa) - Foi uma linda festa! Para o casamento eu quero algo ainda mais grandioso. Quem sabe música ao vivo. Ivan Lins, Nana Caymmi, B.B. King...

ZEZÉ: - Morreu, senhora.

LEONOR: - Meus pêsames. O Carlos Eduardo e a Alessandra formam um belo casal, não é mesmo, Zezé? Lindos, ricos... Esse casamento será ótimo para os nossos negócios lá fora. A Alessandra é muito pararicada pela imprensa europeia... Ex-top-model, famosíssima, influente... (T) Falando assim, parece que estou vendendo meu filho, não é? Mas não é nada disso. É só uma questão de unir o útil ao agradável.

Intercalar com a cena 10:

CENA 10. AVENIDA. CARRO DE KADU. INT. DIA.

Kadu dirige e Davi está no banco de passageiro.

KADU: - Às vezes, me dá vontade de jogar tudo pro alto. Esse casamento sem amor com a Alessandra, principalmente.

DAVI: - O que te impede, Kadu? Você é uma das pessoas mais libertárias que eu conheço, um sujeito inquieto, dono de si... e agora vai casar com uma mulher só porque ela é a nora dos sonhos da sua mãe. Me explica essa, gostosão.

KADU: - Inércia. Fui deixando acontecer, deixando o tempo passar e quando vi, já estava noivando, a um passo do altar, do casamento... 

Voltar para a cena 9:

ZEZÉ: - A Alessandra estava muito feliz. Sorridente como nunca vi.

LEONOR: - O Carlos Eduardo também, não?! Eles se amam... e eu dou graças a Deus por isso. Deus sabe o quanto eu sempre me pelei de medo do meu filho se enrabichar por alguma pobretona interesseira. Você sabe que o que mais tem por aí é mulher atrás de marido rico. Alpinista social, já ouviu falar?

Voltar para a cena 10:

KADU: - O que aconteceu ontem... o que eu senti ao beijar aquela mulher, a Júlia, foi de uma intensidade que eu não sabia que pudesse existir... Inexplicável.

DAVI: - Pois eu sei explicar. O nome disso é amor à primeira vista. Acontece muito... nos filmes, é claro.

KADU: - Pois eu tô louco pra fazer esse filme acontecer... Diz aí, é pra te deixar em casa mesmo?

DAVI: - Por favor, senhor.

Corta para:

CENA 11. APART. DE GILDA. SALA. INT. DIA.

Gilda está no sofá, com uma garrafa de bebida, que pode ser vodka. Assiste um dos seus filmes de grande sucesso no passado. Está numa cena dramática. Ela chora. CAM faz um tour pela sala, até chegar ao rosto dela. Depois, Filipe chega da rua.

FILIPE: - Mãe, agora todo dia é isso? Precisa curtir essa nostalgia enchendo a cara?

GILDA: - "Desilusões de Olívia Watterson". Por pouco não fui indicada ao Oscar. Não me conformo. Não vou me conformar nunca.

FILIPE: - Para com isso, dona Gilda. É passado, não tem que ficar remoendo essas lembranças que só te fazem mal.

GILDA: - Me deixa aqui, vai. Tem um resto de lasanha na geladeira.

Filipe com cara de quem entrega os pontos e sai. Gilda chorosa e saudosa. Depois de mais um gole de bebida, corta para:

CENA 12. AVENIDA. CARRO DE KADU. INT. DIA.

Agora, Kadu está sozinho, dirigindo. Põe uma música pra tocar. Cantarola. Corta para: a alguns metros, vemos Júlia atrapalhada com sacolas de compras e tentando parar um táxi, sem sucesso. Kadu a vê e estaciona. Enquanto ele sai do carro, uma das sacolas de Júlia se rasga, deixando algumas frutas caírem. Ela abaixa para apanhá-las e é surpreendida pela presença de Kadu, que tenta ajudá-la.

KADU: - Posso ajudá-la?

Na expressão surpresa de Júlia, efeito e corta para:

FINAL DO CAPÍTULO 03

7 comentários:

  1. Cara, eu tô muito surpreso com os teus diálogos no sentido de que é certeiro. Como exemplo, a cena do B.B. King. Eu ri disso! Essa é uma ótima pegada. Há outros exemplos no texto, sempre enriquecendo a história. A trama do amigo do Kadu é bastante envolvente. Esse teu gancho é perfeito pra uma abertura de segundo capítulo. Tá muito bom, de verdade! A história acontece, sem medo de acontecer. Mas eu ainda tô curioso sobre o marido da Júlia que pra mim não morreu em Buenos Aires. Porque se ele tiver morrido, vai ter sido uma pena! A volta dele seria o pulo do gato da tua história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Lucas. Fico feliz que esteja curtindo. Gosto muito do Davi e da história de vida dele, que ficará mais clara nos próximos capítulos. Quanto ao Lorenzo, seria interessante mesmo se ele não tivesse morrido e reaparecesse. É uma ideia. Continue acompanhando, tem muita coisa pra acontecer e personagens que vão ganhar melhores contornos. Valeu!

      Excluir
  2. Maravilha de webnovela! Agora, com a entrada da personagem Gilda, ficou ainda mais interessante! Esta maluquinha, pelo jeito, promete!! Sem falar nos meninos Davi e Filipe, que já mostram a que vieram: uma relação verdadeiramente abrasadora!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Gilda chega comendo quietinha e vai roubando a cena de uma maneira que surpreendeu até a mim mesmo. Adoro ela! Vejo muito a já saudosa Betty Lago interpretando-a. Obrigado por prestigiar a minha historinha, Ricardo!

      Excluir
  3. Adorando essas suas tiradas de humor venenoso.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...